sexta-feira, 15 de abril de 2011

Tristeza.

LUTO PELO RIO DE JANEIRO, REALENGO

Aonde esse nosso mundo vai parar? Com tanta violência, mediocridade nossa fingir que nada acontece !
Homens que invadem escolas e saem atirando para todos os lados matando crianças inocentes. E agora, imagine o sentimento de cada pai e mãe que perdeu um filho nessa desgraça que virou motivo para que muitos "humanistas"saíssem por aí pichando paredes, com frases do tipo " Assassino, vai arder no inferno"
Cada manhã que saio, não sei se voltarei, admito, tenho medo! Medo de sair para estudar e não voltar ! Tenho medo pelos meus familiares, amigos e sinto por aqueles desconheço !
Mas , em um mundo que esta sendo tão afetado, vejo a Fé que levanta multidões todos os dias. Vejo aquelas pessoas que estão sempre alí para ajudar aos que necessitam ! .


Deus, que cada criança que perdeu a vida, Peço-Lhe, que sejam anjos ao Teu lado. Proteja-nos de todos os males Oh Pai. Amém

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Fragmentos de sentimentos

Abri mão da minha felicidade pela felicidade de outras pessoas.
Preferi ver sorrisos em outros rostos, mesmo que isso custasse lágrimas em meus olhos.
Então por favor, não me decepcionem.

domingo, 3 de abril de 2011

Entre a cegueira e a visão !


De, Pe. Virgílio, ssp
(Semanário Litúrgico nº16 -03/04/2011)


A cegueira é uma das mais terríveis limitações da vida. Mas nós também, ainda que tenhamos visão invejável, frequentamos com assiduidade do mundo dos cegos.

Somos cegos quando não prestamos atenção na presença de Deus em nossa história e nos voltamos para interesses de pouca valia. Somos videntes quando sabemos perceber a passagem de Deus ao nosso lado, atendemos às suas propostas e cobranças e aceitamos com gratidão a salvação que ele nos traz.

Somos cegos quando nem tomamos conhecimento do nosso semelhante e, entre nós e ele, erguemos barreiras de cor, de classe social e de religião - de modo que ele não venha a cruzar nosso caminho. Somos videntes na hora em que o aceitamos como companheiro de viagem e como irmão muito querido.

Somos cegos na hora em que fechamos olhos e coração ao sofrimento, às lágrimas e ao abandono de tantos excluídos condenados a morte prematura pela falta de remédios, alimentação e moradia. Somos videntes quando temos a coragem de entrar na tribulação e na tragédia deles; quando nos tornamos solidários com sua cruz e nos pomos a seu serviço, a fim de levantá-los e restituir-lhes a dignidade de filhos de Deus.

Somos cegos na hora em que jogamos nas costas dos outros as responsabilidades pelas coisas erradas que
acontecem em nosso meio. Mas somos videntes quando admitimos nossa injustiça, violência e dureza de coração e nos emendamos, com coragem, de nosso pecado.

Somos cegos quando nos julgamos donos da verdade e, roubando o lugar de Deus, lançamos sentenças de vida e de morte em cima do irmão que errou. Somos videntes quando do nosso irmão, ainda que pecador, nos fazemos defensores, lembrados de que nossa luta deve ser contra o pecado, não contra o pecador.

Brilhe para nós um raio de luz de Cristo, a fim de que possamos andar sempre de acordo com o amor, a justiça e a verdade.





sexta-feira, 1 de abril de 2011

Amanhã será um novo dia :)



De, Luizinho Bastos
( com alterações: Luhana Baldan Lemes )


Ontem estava tudo bem, mas hoje, de repente... um problema delicado, a notícia inesperada, uma palavra
grosseira, um impulso precipitado, a incompatibilidade que gerou discussão e rompimento; enfim, diversos impasses são imprevisíveis na jornada da vida e na convivência com as pessoas. Causas e efeitos oscilam e se estendem em consequências desagradáveis.

Quantas vezes ultrapassamos o limite do equilíbrio e, tendo razão ou não, nos descontrolamos? As contradições da vida, os conflitos
íntimos, revoltas, angústias... Parece que todas as forças negativas se unem envolvendo-nos numa nuvem cinzenta que nos tira a paz de espírito, como se o mundo desabasse em nossa cabeça, como se estivéssemos num beco sem saída, impossibilitados de refletir melhor para enxergar uma solução.

Estamos sujeitos a enfrentar essas tempestades a qualquer momento, ninguém está livre dessas oscilações entre casualidades temporais e reações do comportamento. Mas sair pelo mundo fazendo extravagâncias, dirigir em alta velocidade e sem rumo pela madrugada, embriagar-se, são fugas inconscientes, não trarão soluções nem ajudarão a esquecermos o problema.

É compreensível que fiquemos revoltados e indignados quando surgem desentendimentos e equívocos que deixam nossa mente confusa num bombardeio de crises. A Jornada da vida é emocionante porque as crises incitam nossos sentimentos e impulsos. E a crise de hoje é a ponte para a possibilidade do amanhã. Se porventura não soubermos evitar algum impasse, a solução mais madura é ter calma, silenciar-se, suportar, respirar fundo e confiar no amanhã, porque amanhã será um novo dia.

Amanhã poderemos analisar os fatos com mais clareza e o que parecia complicado se tornará simples.
Amanhã o diálogo fraterno e sincero permitirá a reconciliação e uma nova aproximação. Amanhã o problema inesperado que tirou o nosso sono terá uma solução também inesperada. Amanhã aquela angústia que incomodava em nosso íntimo será aliviada com uma palavra amiga, uma boa notícia ou a resposta exata que tanto desejávamos ter. Amanhã a peocupação de hoje ficará esquecida no ontem e diremos: " Está tudo bem, graças a Deus!"

Ufa! o que seria da gente se não confiássemos no amanhã? O amanhã vindouro e iminente, trazendo o novo, o belo, a resposta, a solução, o perdão, a novidade, a disposição, o otimismo, a confiança de viver intensamente a emocionante aventura da vida.

Hoje pode estar tudo confuso, mas amanhã será um novo dia que jamais existiu; tudo estará bem e que, desejo eu, seja o melhor dia da sua vida ! :)